Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

20
Abr21

Formiga 42

Zé Onofre

                           42

21/2/970

Sem rumo, caminho

Passo atrás de passo.

Magnetizado paro.

Uma criança.

Rota, descalça, feliz

Ri, canta, salta.

Vejo-a a ela ou a mim

Descalço nos montes,

Calções rotos,

Pernas arranhadas de areias e espinhos,

Com grilos em caixas a cantar,

Na poça grande, a fazer que nado?

Regresso aos campos,

A brincar na estrada,

A correr ao vento,

Sacola às costas a voar.

Volto.

Não posso entrar no seu reino,

Não as posso magoar,

Com hipocrisia desfazer-lhes os seus sonhos.

Fico-me de longe a vê-los brincar.

Criança riqueza infinda.

Ser criança toda a vida,

Viver sem preocupações.

Criança

Que segredos não esconde,

Que reinos não descortina,

Que tesouros não se encontram?

Criança viver sem horas nem lugar certo,

Sem saber de ontem nem de amanhã,

Viver a aventura de um sonho,

Voar aos céus,

Irmã dos animais.

Criança

Dar vida às pedras

Das mais banais fazer ricos tesouros.

Criança

Ser o mágico dos mágicos,

Viver num segundo

Toda a magia da vida.

            2021/04/20

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub