Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

10
Ago22

Histórias para aprender a ler e a escrever

Livro i

Zé Onofre

Histórias para aprender a ler e a escrever

Livro I

Zé Onofre

Título. Introdução. "A ilha - ilustração e texto. Desenvolvimento

 

 

HISTÓRIAS DE – A a Z

 

(TEXTOS PARA APRENDER A LER E ESCREVER)

 

 

 

TEXTOS E ILUSTRAÇÕES DE ZÉ ONOFRE

 

 

 

 

ESCOLA DE VILARINHO 1998/99

 

Introdução do “como” passo a passo

Previamente 

  1. Sobre a mesa num prisma triangular, feito de cartolina, está escrito o nome da criança.
  2. As crianças apresentam-se, uma a uma, dizendo o seu nome, idade, amizades, … coisas das suas vidas.
  3. Cada criança diz

O meu nome é ______________________.

  1. Conforme cada criança diz O meu nome é __  a professora (o professor) escreve-a no quadro
  2. No lugar cada criança faz o seu “retrato”, que tem no cabeçalho uma faixa em branco, separada por uma linha bem nítida.
  3. As crianças leem, acompanhadas, a frase O meu nome é ________ .
  4. No lugar a criança escreve, copiando, a frase que tem o seu nome, sob o seu “retrato”.
  5. No final as crianças copiam para o cabeçalho numa linha (não marcada) o nome da escola, e a data. Noutra linha (não marcada) “escreve” o seu nome completo a partir do prisma triangular.
  6. Todos os dias escreve o local, data e nome no início do dia. Também escreve O meu nome é ----. Vai substituindo na frase O meu nome é --- por O nome dele (dela) é ------.

 

A ilha

A ILHA.jpg

 

Havia uma Praia.

Com rochedos altos e agudos,

Esculpidos pelo mar, pelo vento,

Pela areia e pelo tempo.

 

Numa casa no cimo da praia.

Vivia, uma mulher

Um homem

E a sua filha.

 

A Inês, o nome da menina,

Gostava muito de nadar.

Tomava banho numa lagoa

Que fazia a preia mar.

 

Mantinha-se por ali.

Até que nova maré

A voltasse a encher

De água e sonhos.

 

Um dia, mais ousado,

Viu o mar perto e distante.

De cima do fraguedo alcançou

Uma vista deslumbrante.

 

Bem sob os seus pés,

Ondas no seu eterno labutar.

Adiante, pescadores lançam redes

Tiram o sustento do mar.

 

No horizonte uma coisa brilha.

Por onde os cargueiros se cruzam.

Parece uma pequena ilha

Que ensombra os cargueiros que passam.

 

A ouvir a canção do mar e das gaivotas

Com os cabelos a dançar ao vento,

A imaginar viagens à ilha ignota  

Esqueceu-se do passar do tempo.

 

Ali a encontraram os pais

Cabelos abandonados ao vento.

De pé, braços abertos não está ali,

Encontra-se no fundo do tempo.

 

Volta-se num repente e diz

- Amanhã vou descobrir uma ilha.

- O sol queimou-te a moleirinha?

- Não. Eu vou levar a minha filha.

 

 Cedo o barco está a flutuar.

A mãe - vão vocês, três é muita gente.

Na lancha a baloiçar.

Pai e filha lá vão todos contentes.

 

De repente o motor calou-se

A lancha acabou por parar.  

Ou acabam à força de remos

Ou a viagem acaba no mar.

 

Veem o sol que baloiça no mar,

Enquanto comem sentados na areia

A mãe saberá que tudo está bem.

Se no alto da ilha fizerem uma fogueira.

 

Já se veem os penhascos 

Que, da areia, ao alto se erguem.

No cimo deles algo cintila.

De repente os olhos já nada veem.

 

São abalroados pela mãe,

Mal põem o pé na areia

Que, ainda mal refeita grita

Hei de ir à ilha fazer uma fogueira.

 

Desenvolvimento 

  1. Leitura em voz alta e clara do texto, como se fosse contado.
  2. Leitura do texto em voz alta e clara do texto com respostas a perguntas sobre o sentido de algumas palavras.
  3. Dramatização do texto.
  4. Contar por desenho/pintura o texto.
  5. Recontar o texto.
  6. Dizem frases sobre o texto.
  7. As frases ditas vão sendo escritas no quadro.
  8. Leem todas as frases coletivamente.
  9. Cada um tenta identificar a frase que disse.
  10. Escolhem uma das frases.
  11. Na mesa escrevem a frase sem copiar – leem a frase, tapam a palavra (as palavras a escrever) depois de as terem observado bem.
  12. Na frase escolhida destacam-se duas palavras.

 

Exemplo

 

A Inês fez uma fogueira na ilha

 

 

  1. Dividem as palavras escolhidas em sílabas

 

 

I + nês                   i + lha 

       

  1. Preenchem o seguinte quadro.  

 

           I + nês                                     i + lha

A                                                a

E                                                 e

I         I                                        i      i

O                                                o

U                                                u

Ãe                                              ãe

Ai                                               ai

Ao                                              ao

Ão                                              ão

Au                                              au

Ei                                               ei

Eu                                              eu

Iu                                               iu

Õe                                              õe

Oi                                               oi

Ou                                              ou

Ui                                               ui 

  1. Com as frases

O meu nome é____________________

A Inês fez uma fogueira na ilha

 

Escrevem novas frases

O nome dele é ________________________________

O nome dela é ________________________________

O ______________ fez uma fogueira na ilha.

 

A ______________ fez uma fogueira na ilha

 

[Nota importante. As crianças escreverão todas as frases sem copiarem. Observam as frases. Tapam as frases a escrever com um papel-

Se sentirem Dificuldades, destapam a frase observam-na bem, tapam-na de novo com a folha e voltam a tentar.] 

 

  1. No final o professor (a professora) escreve todas as frases no quadro.
  2. Uma a uma as crianças “leem” as frases.
  3. O professor (a professora) policopia todas as frases e entrega uma cópia a cada criança.