Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

08
Set21

Penafiel 20

Zé Onofre

               20

 02/06/76

 Era uma vez,

Como tantas vezes,

Na floresta de cimento-aço,

De bichos selvagens

Metálicos e reluzentes,

Andava uma criança.

 

Na rua,

Sem lugar

Sem tempo para brincar,

Andava

Na apanha do trapo

Ferro velho.

Passou por muitos,

Muitos bichos,

E muitíssimos,

Muitíssimos lobos

Que sem ameaças,

Sem escrúpulos,

Sem canções

Comem a criancinha aos pouquinhos.

É esta a história do Capuchinho

Que todos os dias se passas

Na floresta de cimento.

Cidade

Onde os homens

São lobos.

Zé Onofre

4 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub