Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

28
Jan22

Por aqui e por ali IIª Parte texto 1

Zé Onofre

IIª Parte

Texto - 1

Nunca fui a Auschwitz, mas vi, mais de mil vezes, imagens daquele local onde horrores inimagináveis aconteceram.

Houve uma que apagou todas as outras – Bento XVI a sussurrar, como um grito de agonia, - “Onde é que Tu estavas?”
    Quando revejo esta cena penso que, o humano, o profundamente crente, o catolicíssimo, o Papa Bento XVI, duvidou por um segundo, um décimo de segundo, por uma ínfima unidade de tempo que fosse, da existência de Deus.

Se assim foi, o que sinceramente penso que tenha sido, somente mostrou a sua Humanidade.

Desde aí, não penso, não tenciono, nem quero cair naquele vestíbulo do Abismo.

Apenas a ideia de o antever uma claridade que me cega, um terror de sons que me ensurdecem, milhões de gestos de violência praticada e sofrida desligam-me os sentidos e caio num vazio imenso, fantasmagórico.

Vivo o que nunca vivi, vejo o que nunca vi, sofro o que nunca sofri, milhões de vezes morro, outros tantas ressuscito, para outros milhões de vezes morrer outra vez.

 

Zé Onofre, 2017/09/05  

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.