Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

19
Jan22

Por aqui e por ali 44

Zé Onofre

                  44

sd, Escola de Portela, Aboim, AMT

Adivinha

As pernas
Começam no chão
E vão
Por ali acima
– Parecendo nunca mais acabar –
E param
De repente,
Num corpo redondo,
Fofo,
Macio
Onde é bom estar.

Os braços
Agitam-se ao vento
Do que há para fazer.
Ora pequeninos
Quando afagam,
Ora gigantes
Que tudo agarram.

Lá no alto,
A cabeça
Cor-de-noite-escura
Iluminada por duas estrelas,
Os olhos
Cor-de-muita-ternura.

25
Out21

Penafiel 69

Zé Onofre

                    69

 

___/04/978

 

Acordado nas sombras da noite

Pra ver o sol despertar.

Quero cantar belas canções

Para as calar nos teus abraços.

Quero sentir o teu amargo travo,

Sentir o teu sangue a correr

O teu corpo a tremer

Cobri-lo de flores e cravos.

 

Quero amanhecer-te com sorrisos,

Com sons leves de acordar,

Com a primeira luz da aurora

Ou com o último raio da estrela da manhã.

 

Quero o teu amor no crepúsculo do sol,

Quero ouvir o teu grito

Em noites de luar,

Quero cobrir o teu corpo

Com beijos de encantar.

  Zé Onofre

22
Ago21

Souto 39 (A brincar aos poemas de Amor)

Zé Onofre

39

                SET/975

                     I

Quando encontrei os teus olhos,

O teu corpo,

E a tua vida,

Antevi um novo dia.

Nunca esquecerei o momento             

Em que te encontrei.

Para sempre ao vento

De paixão cantarei.

Quando encontrei os teus olhos,

Antevi um novo dia.

Contarei do teu olhar,

Da tua boca a sorrir,

Dos teus cabelos doirados,

Loiro sol a sorrir.

Quando encontrei os teus olhos

Antevi um novo dia

                   II

Lembro com saudade

A tua presença serena

Que nos dias de liberdade

Vivíamos em comunhão plena.

 

Lembro com saudade,

Única coisa que ficou,

Dos dias de felicidade

De quem tanto amou.

 

Lembro com saudade

O que ficou por te dizer.

Perdi a oportunidade

Não sei o que fazer,

 

Lembro com saudade

Teus lábios, o teu sorriso

O teu olhar de lealdade.

Até penso que perdi o siso.

  Zé Onofre

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub