Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

28
Jan23

Parte VI - o fascismo com os corninhos ao sol - 34

Zé Onofre

34

(Depois não digam que repito os textos. A isso me obrigam)

023/01/27

 

Nestes tempos que correm

Há muitas faces com cor alteradas

Não sei se é a cor que é trocada,

Ou se é maquilhagem tirada

Mostrando a tez verdadeira,

Agora que já lá vai a negra geada,

Já podem tirar a máscara inteira.

 

Agora está bem, está bem

Há pessoas que, já sem pudor,

Mostram as faces que têm.

Agora está pior, está pior

Afirmam que querem ir além,

Mas querem é o velho ditador.

 

Há quem pense e nisso insista

Que basta a consciência democrata

Contra o discurso revanchista

Que luta por um regime autocrata,

Terreno onde germina o estado fascista

Que o liberalismo no seu peito trata.

 

Agora está bem, está bem

Há pessoas que, já sem pudor,

Mostram as faces que têm.

Agora está pior, está pior

Afirmam que querem ir além,

Mas querem é o velho ditador.

 

Vamos agora falar sem rodeios,

Com clareza. A democracia liberal,

Ou apenas democracia são meios

De defender a ditadura do capital.

Não se estranhe, portanto, o receio

Que têm de uma ditadura social.

 

Agora está bem, está bem

Há pessoas que, já sem pudor,

Mostram as faces que têm.

Agora está pior, está pior

Afirmam que querem ir além,

Mas querem é o velho ditador.

         Zé Onofre

 

14
Nov22

Dia de hoje 75 A - Canto triste XII

Zé Onofre

                 75 A

 

                   Canto triste XII

 

022/11/13

 

Neste momento duro, feroz, estéril de sentido

De rota perdida, sem norte, nem bússola

Da vida em tudo afastado;

Onde nem poeta sonha, ou voz canta,

Nem criança tem doce sorriso;

Cujo nome, das gentes conhecido,

É democracia, na verdade, ditadura.

 

A qual a propaganda

Elevou às alturas

De verdade absoluta

Onde uma dúvida à sua verdade

É sinal, de herética malvadez,

Saudade de uma experiência falhada.

 

Sendo uma amostra onde

O desejo de um regime vil se esconde;

Nele aparece o governo que se encosta

Ao regime, que vem em crescendo,

Do século dezoito, liberalismo chamado

Que conforme o tempo foi volvendo,

A sua língua de mel-veneno composta,

Outros nomes lhe têm dado.

 

Agora como vento quer apressado

Derrubar com o seu longo braço

Tudo que a luta operária obteve

Tida pelo capital como desventura.

Agora, nesta hora de retaliação pura  

O imperialismo, num momento breve,

Quer que a luta operária fique sem espaço,

Que para sempre a exploração  

Mantenha, em todo o mundo, dominação. 

 

Aqui chegamos, vivendo tristes os dias,

Que enganados fizemos maus, solitários,

De desprezo e de humilhações cheios,

Trabalho forçado indigno de operários,

Depois de lutas duras terem tido direitos e regalias.

 

O capital com vãs promessas de cofres cheios

Põem os operários sozinhos com os seus meios,

A lutarem contra a sua própria natureza.

Não reparam que quem assim os ilude,

Quer que percam, da união, a memória  

De lutas duras em que lhes sorriu a vitória.

Que esqueçam a gente que na união viram a virtude,

Para acabar com o capital com toda a certeza,

Que, apesar de à exploração e ignorância sujeita, sabia

Que um mundo sem exploradores haver poderia

   Zé Onofre

 

03
Nov22

Das eras VI - Fascismo com os corninhos ao sol 32

Zé Onofre

                  32

022/11/03

 

Fascismo 1 (2).jpg

Ai,

Se os Partidos Democratas,

Ainda que burgueses,

Cumprissem o que prometem

Nada disto acontecia.

Se os governos

Não tivessem medo,

Preferissem demitir-se

A não cumprirem o prometido  

Nada disto acontecia

Se os deputados  

Não cuidassem tanto

Dos seus interesses,

Mas apenas dos interesses

Dos cidadãos que os elegeram

Nada disto acontecia.

Se os Partidos Democratas,

Embora burgueses,

Tivessem uma ideologia sólida,

Onde enraizassem os governos

Nada disto acontecia.

Enquanto os Partidos Democratas,

Embora burgueses,

Quiserem exercer o poder pelo poder

Para servir clientelas,

Irremediavelmente a Ditadura

Estará à nossa espera.

Agora,

Falta-me saber  

Se os Partidos Democratas,

Embora burgueses,

Agem assim

Para melhor servirem os seus $enhores?

Também

Não duvido que neste momento,

Aos $enhores deste mundo,

Lhes convém mais uma Ditadura,

Do que a farsa Democrata.

   Zé Onofre 

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub