Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

30
Mai22

Por aqui e por ali 139

Zé Onofre

             139

 

015/12/13

 

Um abraço à Rosinha e ao sr. Alves, pelos cinquenta anos de casamento, do Zé Onofre e da São

 

alves 2.jpg

 

A vida é uma árvore.

Ora tronco liso,

Cortado por fortes nós.

Sem os nós,

Seria monotonia.

Pleno de nós,

Seria um pesadelo.

 

A vossa vida desabrochou em ramos,

Que aos ramos, novos ramos se acrescentem,

Com delicadas flores

Que frutificarão em frutos,

Em sorridentes e preciosas alegrias,

Até ao infinito

   Zé Onofre

03
Abr22

Por aqui e por ali 83

Zé Onofre

                83

 994/10/16

                 I

Que é

Do fogo ardente

Que iluminava o nosso caminho?

Que é

Da fúria

De fazer o futuro ontem?

Que tempo é este

Que levanta barreiras

Onde deveria haver, apenas, sonho e magia?

Que tempo é este

Que tudo macula?

Que tempo é este?

Que tempo,

Sem tempo

Para sonhar mais longe.

                II

Que bom,

Poder olhar o céu

Sem sonhos no olhar.

Que bom,

Poder apreciar a paz

Sem lágrimas nas palavras.

Que bom,

Pisar serenamente

As pedras da calçada.

                III

Quanto mais bom seria,

Incendiar de sonhos

O futuro,

Iluminar de pureza

O caminho,

Semear de flores

A gravidade dos dias.

  Zé Onofre

15
Fev22

Por aqui e por ali 57

Zé Onofre

                   57

 

989/06/22

              I

Assumamo-nos

Hipócritas do futuro

Cínicos do presente.

 

Assumamo-nos!

 

Sejamos o que somos

Ignorantes

(e ignorados)

Atores de uma peça

Por escrever.

 

Assumamo-nos!

 

Flores mortas

No cemitério da pedagogia

E não seres em crescimento

Nos jardins da vida.

                  II

Violência,

É o sonho nos bairros de lata.

Não são os bairros de lata.

 

Violência

É sonhar com dias melhores.

Não são os dias maus.

 

Violência

É sonhar com o impossível

Quando o possível está por fazer.

  Zé Onofre

25
Out21

Penafiel 69

Zé Onofre

                    69

 

___/04/978

 

Acordado nas sombras da noite

Pra ver o sol despertar.

Quero cantar belas canções

Para as calar nos teus abraços.

Quero sentir o teu amargo travo,

Sentir o teu sangue a correr

O teu corpo a tremer

Cobri-lo de flores e cravos.

 

Quero amanhecer-te com sorrisos,

Com sons leves de acordar,

Com a primeira luz da aurora

Ou com o último raio da estrela da manhã.

 

Quero o teu amor no crepúsculo do sol,

Quero ouvir o teu grito

Em noites de luar,

Quero cobrir o teu corpo

Com beijos de encantar.

  Zé Onofre

30
Ago21

Penafiel 9

Zé Onofre

             9

 15/05/978

Quando as coisas não são

O que são,

Mas o que eu sinto.

 

As flores,

As cores

Não são a Primavera.

Primavera

É o longe do medo

Nas veredas da vida.

 

As flores,

As cores

Nascem sempre

Com a alegria de viver.

E se houver amores?

Então,

É Primavera plena,

Nos caminhos longos,

Longos, da conquista do pão.

 

Longe do medo

Perto da vida

É primavera sempre.

Zé Onofre

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub