Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notas à margem

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Textos escritos em cadernos, em guardanapos, em folhas encontradas ao acaso, sempre a propósito, nunca de propósito. isto é "vou escrever sobre isto". Não é assim que funciono.

Notas à margem

02
Dez22

Dia de hoje 78 - Canto triste XIV

Zé Onofre

              78

 

                  Canto triste XIV

 

022/12/02

 

“O ano de 2023 vai ser mais duro do que 2022”, Marcelo, o presidente a visar o povo que se prepare para mais um período de Austeridade.

 

Povo trabalhador ouve com atenção,

Para entenderes que no que não é dito

É que encontras o verdadeiro sentido

Das palavras ditas com a intenção

Para que fiques totalmente convicto

Que é o único rumo a ser seguido.

 

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem que aprendeste a lição.

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem quem é o teu patrão.

 

Povo trabalhador ouve com atenção.

O poder exige sacrifícios outra vez,

A ti que tens a vida bem complicada,

Fazem-te crer que estes dias são

Normais, que não vejas clara a avidez,

Dos que vivem da tua vida suada.

 

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem que aprendeste a lição.

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem quem é o teu patrão.

 

Povo trabalhador ouve com atenção.

Nunca ouviste os nossos governantes,

Pedirem ao patronato, num só momento,

O que a ti tiram sem qualquer comiseração,

Que os lucros, do próximo ano em diante,

Terão que ser reduzidos a zero por cento.

 

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem que aprendeste a lição.

Manipula a verdade como quiseres,

Manipula as palavras como quiseres

Mostra bem quem é o teu patrão.

   Zé Onofre

27
Nov22

Dia de hoje 76 - Natal

Zé Onofre

               76

 

Natal

 

022/11/20

 

O Natal está a chegar.

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia do Natal na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar do mar imenso e bravo da pobreza,

Causada pela ganância do lucro, da acumulação,    

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia do Natal na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar dos rios de água que correm pela mesa

Dos que à volta dela se sentam e não têm pão   

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia do Natal na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar das crianças que sofrem a dureza

De viverem sem telhado e a incerteza de um chão,

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Do “canto dos anjos” na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar das guerras geridas pela avareza

Dos que só vivem tendo tudo na sua mão,   

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Dos pastores ajoelhados na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar da velhice rejeitada com crueza, 

Abandonada em casas, ou lares de ostentação,

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia dos Magos na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar da ensanguentada riqueza

Que estropia, fere, mata escondendo a mão, 

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia da Estrela sobre a gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar dos que mergulhados na tristeza

E não sabem que o seu suor é o ouro do patrão,    

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia do Natal na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Para falar dos males feitos à Natureza

Por quem se julga dono de toda a criação,

Apenas falarei da alegria que o Natal tem.

 

Este ano prometo que apenas falarei da beleza

Que irradia do Natal na gruta de Belém.

Prometo que, por maior que seja a tentação

Não falarei dos que vendem, com baixeza, 

O mistério que anunciava uma nova estação,

Apenas falarei da alegria que o Natal tem. 

10
Set21

Penafiel 23

Zé Onofre

                 23

 14/07/977

Cinco,

Gosto de ti,

Ó cinco.

Gosto da tua forma,

Do teu som,

Da tua cor.

 

Gosto de dizer

Assim mansinho

- Cinco –

Aos ouvidos das pessoas.

 

Cinco

De ti dirão

Que és um

Algarismo,

Um número

Abstracto.

 

Cinco,

O número de carros

Que fulano tem.

O número de quilómetros

Que um operário caminha a pé

Pelo alto da madrugada.

 

Cinco,

O número de quartos de banho

Forrados a ouro

Que um palácio tem.

 

O número de pessoas

Que vivem num quarto

De um bairro operário.

 

Cinco, 

Os cinco mil contos

De lucro diário

De um patrão.

O cinco centos de escudos,

Salário mensal do operário.

 

Cinco,

As garrafas de Wiskhy,

De mil escudos a garrafa

Na garrafeira do senhor da Terra.

Cinco,

Os cinco tostões

Na algibeira do mendigo.

 

Cinco,

Cinco dias de exploração semanal,

A que o patrão chama

Semana de trabalho.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub